Skip nav

Investigação, Desenvolvimento e Inovação (I&D&I) em TIC

Acesso Aberto e eCiência

Acesso Aberto

A FCT defende a disponibilização dos resultados da investigação científica através da internet, de forma aberta, livre e sem custos para o utilizador.

Contando com o apoio de investigadores, universidades e instituições de I&D, organizações internacionais e agências públicas financiadoras de investigação, as vantagens da disponibilização de publicações em Acesso Aberto são amplamente reconhecidas. Estes benefícios incidem sobre a investigação de forma direta, facilitando a interdisciplinaridade e aumentando a sua visibilidade, mas também causam impacto a nível social e económico, levando a investigação a profissionais de outras áreas, a empresas e a públicos interessados.

Portugal é reconhecido na Europa pela sua política inovadora em matéria de Acesso Aberto, tendo o Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP) um papel essencial no aumento da visibilidade das universidades portuguesas na Internet, assim como na rápida expansão dos repositórios institucionais de Acesso Aberto a nível nacional.

Desde 2008 que a FCT participa de forma ativa na implementação de estratégias de Acesso Aberto, nomeadamente apoiando o RCAAP, tendo lançado uma consulta pública, decorrida entre junho e julho de 2013, para recolha de contributos e sugestões acerca de propostas de políticas de Acesso Aberto.

As Políticas de Acesso Aberto da FCT são o resultado direto dessa consulta pública. Englobam regras e recomendações para o acesso livre e online a publicações sujeitas a revisão por pares e a dados resultantes de investigação científica financiada pela FCT. As políticas entraram em vigor a 5 de maio de 2014.

No seu essencial, a política sobre Acesso Aberto a publicações científicas resultantes de investigação financiada pela FCT determina que as publicações de resultados científicos, que sejam sujeitas a revisão por pares ou outra forma de revisão científica, devem ser depositadas num dos repositórios em acesso aberto do RCAAP logo que possível, de preferência por altura da aceitação da publicação. É permitido um período de embargo, depois do qual todo o conteúdo das publicações deve ser livremente disponível. A política aplica-se a artigos em revistas científicas, atas de conferências, posters, livros e capítulos de livros, monografias e teses de Mestrado e de Doutoramento. O financiamento da FCT engloba projetos de I&D, bolsas e contratos de emprego científico.

A política sobre a disponibilização de dados e outros resultados de investigação científica financiada pela FCT encoraja os investigadores a partilharem resultados primários e outros dados com a comunidade científica, colocando-os em bases de dados de acesso aberto (como a Genbank, por exemplo), logo que possível. Também, neste caso, o financiamento da FCT engloba projetos de I&D, bolsas e contratos de emprego científico.

eCiência

A e-Ciência é uma das áreas de ação com crescente relevância para as políticas e modelos de governação da Ciência e da Inovação.

Neste contexto, a FCT tem dedicado especial atenção à promoção do potencial de instrumentos TIC para as atividades de Investigação e Desenvolvimento (I&D), não só apoiando e oferecendo infraestruturas e serviços TIC de suporte ao sistema científico, como ainda promovendo a produção, integração e disseminação de conteúdos em Acesso Aberto.

Decorrente das suas atribuições estatutárias, cabe ao DSI propor políticas de participação nos processos de desenvolvimento e implementação de infraestruturas digitais e promover políticas de acesso aberto de literatura científica e tecnológica e de repositórios científicos de acesso aberto.

Informação estatística sobre e-Ciência

O DSI assume a responsabilidade sobre a revisão e atualização anual do capítulo sobre “e.Ciência” da compilação eletrónica de informação estatística, intitulada “A Sociedade da Informação em Portugal”, produzida pela DGEEC/MEC.

Iniciativas nacionais e internacionais de e-Ciência e Open Science

Com a ação do DSI, a FCT tem garantido a participação ativa em iniciativas nacionais e internacionais de e-Ciência e Open Science, com destaque para:

  • Consulta da Comissão Europeia sobre Open Science (Science 2.0); [Ver resposta da FCT]
  • Revisão de relatórios da OCDE sobre Open Science, nomeadamente, com entrega de contributos para country note sobre Open Science em Portugal;
  • Apoio à participação da FCT no âmbito da “Science Europe” e do ”Global Research Council
  • Apoio à participação da FCT no âmbito da rede de National Points of Reference for Scientific Information (Comissão Europeia).