Saltar navegação

Notícias

17-02-2017

Projeto de Regulamento de Atribuição do Título de Laboratório Colaborativo (CoLAB) disponível no site da FCT

Está disponível no site da FCT o Projeto de Regulamento de Atribuição do Título de Laboratório Colaborativo (CoLAB). O projeto estará em consulta pública durante 30 dias a partir da publicação em Diário da República, que deverá acontecer em breve. Os comentários podem ser enviados para CoLAB@fct.pt.

Os Laboratórios Colaborativos são associações ou consórcios de unidades de investigação, laboratórios associados, instituições de ensino superior, instituições intermédias e de interface, centros tecnológicos, empresas, associações empresariais e outros parceiros relevantes do tecido produtivo, social  ou cultural, como Laboratórios do Estado, autarquias e instituições associadas a organizações locais, unidades hospitalares, museus, arquivos, ou instituições sociais, nacionais ou internacionais (entidades participantes).

Os Laboratórios Colaborativos têm como objetivo principal definir e implementar agendas de investigação e de inovação orientadas para a criação de valor económico e social, incluindo processos de internacionalização da capacidade científica e tecnológica nacional, em áreas de intervenção relevantes, o estímulo ao emprego científico e a realização de atividades de I&D que potenciem o reforço de sinergias com instituições de ensino superior, designadamente no âmbito de programas de formação especializada, profissional ou avançada em estreita colaboração com parceiros sociais e económicos.

O principal desafio a que os Laboratórios Colaborativos devem responder é o da densificação efetiva do território nacional em termos de atividades baseadas em conhecimento, através de uma crescente institucionalização de formas de colaboração entre instituições de ciência, tecnologia e ensino superior e o tecido económico e social, designadamente as empresas, o sistema hospitalar e de saúde, as instituições de cultura e as organizações sociais. Os Laboratórios Colaborativos devem, assim, consolidar e promover a capacidade e o potencial que as comunidades científicas e académicas apresentam para fazer face à oportunidade de relacionar o conhecimento com o bem-estar e o desenvolvimento social e económico em Portugal.

Arquivo de notícias ›