Skip nav

E-RARE-2

Cooperação Transnacional

E-Rare-3: ERA-NET para Programas de investigação em Doenças Raras

A FCT é parceira da ERA-NET E-Rare-3, um projeto que pretende alargar e fortalecer a cooperação transnacional entre organizações de financiamento de investigação em doenças raras, por um período de 5 anos (2015-2019). Esta ERA-NET tem por base as experiências e resultados dos programas E-Rare-1 e E-Rare-2 e ambiciona providenciar um modelo internacional para implementação de Concursos Transnacionais Conjuntos. O consórcio é formado por 25 organizações de 17 países Europeus, Associados e não Europeus. A sua dimensão internacional irá ser diretamente traduzida na colaboração próxima com o Consórcio Internacional para as Doenças Raras IRDiRC e outras iniciativas europeias e internacionais.

A ERA-NET E-Rare implementou com sucesso 10 Concursos Transnacionais Conjuntos para apoio a investigação em doenças raras. Este esforço tem agora continuidade com o Programa Europeu Conjunto para as Doenças Raras (EJP RD), estabelecido para fornecer ajuda adicional na coordenação dos esforços dos países Europeus, Associados e de fora da Europa, na investigação em doenças raras e implementar os objetivos do Consórcio Internacional para as Doenças Raras (IRDiRC).

EJP RD CONCURSO TRANSNACIONAL CONJUNTO 2019

Destaques

15 dezembro 2018: Lançamento do concurso.

15 fevereiro 2019: Data limite para pré-proposta

início de maio 2019 Data limite para submissão de candidaturas

Por favor, consulte esta página regularmente para possíveis atualizações..

DOCUMENTOS DO CONCURSO:

DOCUMENTAÇÃO NACIONAL:

Hiperligações de Interesse:

O Edital facultará informação detalhada sobre os tópicos, países participantes e elegibilidade. Por favor consulte os documentos e as hiperligações selecionadas na caixa amarela no lado direito .

Tópicos do concurso

Investigação para aceleração de diagnóstico, e.g: Novos procedimentos para a identificação de doentes não diagnosticados. Anotação e interpretação melhorada de variantes e desenvolvimento de testes de diagnóstico para variantes mais prevalentes; Novas modalidades de análise funcional de variantes candidatas através de estudos in vitro, de células, tecidos ou animais; Abordagens integradas de -ómica ou multi-ómica para a descoberta de causas de doença e mecanismos, incluindo o desenvolvimento de ferramentas bioinformáticas relevantes;

Investigação para a exploração de mecanismos e progressão da doença e.g: Estudos da história natural e registos de doentes (também apropriados a uso em ensaios clínicos). Sempre que possível, estes devem incluir o desenvolvimento e uso de dados e de resultados relatados pelo doente. Além disso, a exploração do uso de instrumentos de vigilância padronizados baseados em M-Health e de dados inseridos por doentes para recolher informação para estudos de história natural é bem-vinda; Identificação de biomarcadores clínicos, de avaliações de resultados clínicos e de términos alternativos; Identificação de novas vias fisiopatológicas em modelos de doença apropriados que efetivamente imitem a condição humana.

Países Participantes

Alemanha, Áustria, Canadá, Espanha, Eslováquia, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Israel, Itália, Lituânia, Luxemburgo, Polónia, Portugal, República Checa, Suécia, Suíça e Turquia.

Proponentes de países não estejam associados ao concurso podem ser parte de um consórcio, desde que disponham de fundos próprios para financiar a sua participação (Será necessário documentar a disponibilidade dos fundos até dia 1 de outubro de 2019)

Como candidatar-se

1- Consultar os"Documentos do Concurso" disponíveis na caixa amarela que se encontra à direita.

2- Ler os regulamentos nacionais dos países participantes no seu consórcio (incluindo o português). Parceiros que sejam considerados não-elegíveis poderão originar a rejeição de todo o consórcio.

3- Aceder à Plataforma de submissão eletrónica.

4- As equipas portuguesas (Parceiros e/ou Coordenadores) têm de enviar para o Ponto de Contacto Nacional do Concurso uma Declaração de compromisso devidamente assinada pelo(a) Investigador Responsável, pelo representante legal da instituição proponente e carimbada, até 10 dia úteis após o prazo limite para submissão da pré-proposta. A FCT poderá solicitar o original deste documento mais tarde.

Compromisso financeiro da FCT e norma de financiamento (Portugal apenas)

Compromisso nacional para o concurso: 300.000 €

Máximo de financiamento para uma proposta coordenada por Portugal: 250.000 €

Máximo de financiamento para uma proposta com participação Portuguesa: 150.000 €

Nota: Se no consórcio existirem mais do que uma instituição portuguesa, a verba terá de ser partilhada entre o número existente. O financiamento das instituições portuguesas têm de obedecer ao Regulamento de acesso a financiamento de projetos de IC&DT. A dedicação (ETI) a projetos transnacionais não é contabilizada para o máximo de 100% de dedicação (ETI) aos projetos nacionais.

Contactos

Ponto de Contacto Nacional

Anabela Isidro
Anabela.isidro@fct.pt
Tel: (351) 213 911 552

Rita Cavaleiro
rita.cavaleiro@fct.pt
Tel: (351) 213 911 541

FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Av. D. Carlos I, 126 - 7º
1249 – 074 LISBOA
Portugal

Esta iniciativa recebeu financiamento do programa para a investigação e inovação da União Europeia Horizonte 2020 ao abrigo do contrato de subvenção N° 643578