Skip nav

Cooperação Internacional

Grupos do Espaço Europeu de Investigação (Grupos EEI)

O Espaço Europeu de Investigação pretende ser uma área unificada para a investigação, promovendo a circulação de investigadores, de conhecimento científico e de tecnologia dentro da União Europeia.

Para fomentar o seu desenvolvimento, foram identificadas seis prioridades para as políticas públicas europeias: sistemas nacionais de investigação mais eficazes; cooperação e competição transnacional, incluindo coordenação de infraestruturas de investigação; um mercado de trabalho aberto para investigadores; igualdade de género e questões de género em investigação; acesso e inovação abertos, incluindo transferência de conhecimento; e cooperação internacional.

Para acompanhar esta evolução foi criado o Comité para o Espaço Europeu de Investigação e Inovação (do inglês, ERAC), um órgão de aconselhamento ao Conselho, à Comissão e aos Estados-Membros sobre o Espaço Europeu de Investigação, as suas prioridades e a sua governança. O ERAC possui duas configurações específicas, três grupos de trabalho permanentes, e articula-se também com o Fórum Estratégico Europeu para as Infraestruturas de Investigação (do inglês, ESFRI), constituído antes do ERAC, mas posteriormente inserido na estrutura de governança do Espaço Europeu de Investigação.

Grupo de Alto Nível para a Programação Conjunta (GPC)

O GPC aconselha a Comissão Europeia e o Conselho sobre a promoção da cooperação e o alinhamento de estratégias em I&D entre Estados-Membros, com o objetivo de superar os desafios societais europeus, originando o conceito de Programação Conjunta.

Delegados Nacionais:
Madalena Pereira (Fundação para a Ciência e a Tecnologia)

Fórum Estratégico para a Cooperação Internacional em Ciência e Tecnologia (SFIC)

O SFIC recolhe e sistematiza informação sobre as iniciativas de cooperação internacional dos vários Estados-Membros, e analisa as características e as capacidades dos sistemas científicos e tecnológicos de países terceiros, com vista a aconselhar a Comissão Europeia e o Conselho no estabelecimento de novas colaborações internacionais.

Delegados Nacionais:
Maria João Maia (Fundação para a Ciência e a Tecnologia)
Ana Quartin (Fundação para a Ciência e a Tecnologia)

Grupo de Trabalho Permanente em Ciência e Inovação Aberta (OSI)

O OSI fornece aconselhamento prospetivo na conceção e implementação de políticas e iniciativas relacionadas com a Ciência e a Inovação Aberta, promovendo ao acesso e a circulação do conhecimento científico, e a sua utilização para investigação e inovação, sendo os temas em discussão primordialmente abordados do ponto de vista dos utilizadores finais, sejam investigadores, instituições dedicadas à investigação ou educação, empresas, cidadãos ou a sociedade em geral.

Delegados Nacionais:
António Bob Santos (Agência Nacional de Inovação)

Grupo de trabalho Permanente para Género em Investigação e Inovação (GRI)

O GRI tem como objetivo específico de identificar e promover a aprendizagem mútua sobre políticas e estratégias de promoção de igualdade de género na I&I, e ainda apoiar a recolha de dados desagregados por género para relatórios europeus, aconselhando e apoiando assim o trabalho da Comissão Europeia e do Conselho nesta área.

Delegados Nacionais:
Sofia Morgado (Faculdade de Arquitetura, Universidade de Lisboa)
Maria João Sequeira (Fundação para a Ciência e a Tecnologia)

Grupo de Trabalho Permanente em Recursos Humanos e Mobilidade (HRM)

O trabalho do HRM tem o intuito de apoiar a implementação das políticas ligadas às carreiras de investigação e à mobilidade de cientistas na União Europeia, estando na origem de iniciativas como o Código de Conduta Europeu para o Recrutamento de Investigadores e o portal EURAXESS.

Delegados Nacionais:
Rui Munhá (Fundação para a Ciência e a Tecnologia)
Gonçalo Zagalo (Fundação para a Ciência e a Tecnologia)

Fórum Estratégico Europeu para as Infraestruturas de Investigação (ESFRI)

O ESFRI é um fórum onde os Estados-Membros, a Comissão Europeia e os Países Associados estabelecem estratégicas de coordenação das infraestruturas de investigação europeias. O ESFRI é responsável pela criação, atualização e monitorização do Roteiro ESFRI, onde são identificadas infraestruturas de investigação de interesse europeu nas diversas áreas científicas, criando assim uma orientação clara para as políticas públicas de financiamento a estas infraestruturas.

Delegados Nacionais:
Marta Abrantes (Fundação para a Ciência e a Tecnologia)