Skip nav

Avaliação de Maturidade das Infraestruturas de Investigação de Interesse Estratégico

O acompanhamento da implementação do Roteiro Nacional de Infraestruturas de Investigação de Interesse Estratégico (RNIE), bem como a análise do retorno socioeconómico das infraestruturas de investigação e a promoção de sinergias com o ESFRI, entre outras funções, são da responsabilidade do Comité de Acompanhamento das Infraestruturas de Investigação, constituído pela FCT nos termos do Regulamento nº327/2013 (Regulamento do RNIE). Em 2015, a FCT solicitou ao Comité de Acompanhamento que realizasse uma primeira análise da maturidade da implementação das infraestruturas integradas no RNIE no ano anterior, e da sua capacidade de servir a comunidade científica.

Tendo em conta a integração de 12 novas infraestruturas no RNIE em 2019, bem como o facto de já terem passado quatro anos desde a anterior análise de maturidade, a FCT decidiu encetar no último trimestre de 2019 uma nova avaliação de maturidade das infraestruturas de investigação, que manteve como referência a metodologia do ESFRI, com as devidas adaptações ao contexto nacional.

A avaliação de maturidade decorreu entre outubro de 2019 e fevereiro de 2020, tendo participado no processo 28 peritos do Comité de Acompanhamento, bem como 8 avaliadores externos ao Comité. Foram abrangidas pela avaliação as 52 infraestruturas nacionais integradas à altura no RNIE, bem como outras três infraestruturas identificadas pelo Conselho Diretivo da FCT como sendo de elevada relevância estratégica e que viriam a ser integradas no RNIE em 2020.

A grande maioria das infraestruturas analisadas foram consideradas pelo Comité de Acompanhamento como de maturidade média (37%) ou alta (46%).

Após a conclusão desta avaliação de maturidade foi publicada pela FCT, em junho de 2020, a atualização do RNIE, que reflete a integração de um total de 16 novas infraestruturas de investigação nacionais no Roteiro, determinada nos despachos n.º 5220/2020, n.º 4958/2020, n.º 7557/2019, n.º 4157/2019 do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

O Relatório que descreve o processo de avaliação e os seus resultados pode ser obtido aqui.