Skip nav

Análise bibliométrica 2013

Processo

Esta secção contém informação que foi disponibilizada durante o processo de recolha de dados para a análise bibliométrica realizada no âmbito do Exercício de Avaliação das Unidades de I&D 2013.
A conta de e-mail indicada nesta página foi criada especificamente para este processo e já não se encontra ativo.

Para proceder a esta análise bibliométrica, a FCT solicita a todos os investigadores (membros integrados), e que pretendam participar nesta análise bibliométrica, que preencham o seu identificador ORCID iD numa página a designar, que estará disponível a 25 de Novembro de 2013, até ao fecho da candidatura.

A produção científica, tecnológica e cultural dos investigadores (membros integrados) que não fizeram registo do ORCID iD na plataforma da FCTdesignada, não serão considerados no estudo bibliométrico.
Para facilitar o atendimento e assegurar uma resposta eficiente a toda a comunidade, a FCT solicita às unidades de I&D registadas que indiquem um ponto de contacto único por unidade de I&D que será o interlocutor privilegiado no contacto com a FCT.

De modo a apoiar a comunidade científica nacional que pretende participar neste estudo bibliométrico, a FCT vai organizar uma sessão de esclarecimento (via live streaming) onde haverá oportunidade de colocar questões online. A sessão será realizada no dia 26 de Novembro 2013 das 14h30 às 16h. Para aceder à sessão, clique em http://live.fccn.pt/fct/biblio/.

Registo único de investigador

A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) considera o processo de avaliação das unidades de I&D 2013 como uma oportunidade para criar registos únicos de identificação dos investigadores a trabalhar em Portugal. Desta forma, caminhar-se-á rapidamente para um repositório único da produção científica, tecnológica e cultural dos investigadores, ultrapassando problemas de ambiguidade de autoria e afiliação que os sistemas atuais apresentam.

De futuro, e a partir deste repositório único, poder-se-á utilizar a informação aí guardada para o preenchimento automático de currículos, candidaturas a financiamento de bolsas, projetos e unidades, produção de relatórios de atividade, entre outros. Por outro lado, este tipo de repositório permite a adição de qualquer tipo de produção e não apenas a dos artigos indexados em bases de dados, permitindo por isso uma cobertura completa, sobretudo de áreas que tradicionalmente estão mal representadas nas atuais bases de dados indexadas, incluindo as artes e as humanidades.

Análise bibliométrica

A avaliação das Unidades de I&D 2013 irá ser realizada por painéis de avaliação organizados por áreas científicas, compostos por avaliadores de mérito e competência internacionalmente reconhecidos, provenientes de instituições estrangeiras. Nas áreas científicas em que indicadores bibliométricos são amplamente aceites como indicadores de realização das equipas, é prática habitual que estes sejam tidos em consideração durante processos de avaliação por pares, como complemento a outra informação relevante. No sentido de facilitar a recolha desta informação e de o fazer de forma fiável e com base em instrumentos robustos, a FCT optou por recolher a informação de produção científica, tecnológica e cultural diretamente junto de cada um dos investigadores, permitindo que cada investigador identifique de forma inequívoca e válida as publicações de que é autor, através da associação a um identificador único sólido e internacionalmente validado e aceite.

A seleção do identificador único, bem como a escolha da base de dados para efetuar o estudo bibliométrico, teve em consideração a experiência internacional em exercícios de avaliação semelhantes e ainda as áreas científicas e o número de publicações coberto pelas principais bases de dados de referência. Foram ainda ouvidos peritos nacionais e internacionais em avaliação e bibliometria e auscultados outros organismos da administração pública com competência e atribuições nesta área, incluindo a Direção Geral de Estatística de Educação e Ciência (DGEEC).

Com base na informação recolhida e nos estudos efetuados, a FCT optou pelo identificador único ORCID iD (http://www.orcid.org) e pela base de dados Scopus (Elsevier, http://www.elsevier.com/online-tools/scopus). A utilização deste identificador único no presente exercício de avaliação não substitui nem dispensa a análise, por parte dos painéis de avaliação, dos curricula dos investigadores, como um meio de obter informação acerca da totalidade da produção científica, tecnológica e cultural para a qual o identificador único pode não fornecer a informação adequada. Não obstante, todos os investigadores devem ter presente que a análise bibliométrica agregada por unidade de I&D e distribuída aos painéis de avaliação é apenas a que resulta da análise das publicações associadas ao identificador único não sendo esta informação extraída dos curricula dos mesmos.

O tratamento da informação bibliométrica será efetuado pela Elsevier/Scopus por corresponder à base de dados que apresenta a maior cobertura para um conjunto alargado de áreas científicas. O relatório da análise bibliométrica para cada unidade de I&D, bem como a lista de publicações usada para o estudo serão públicos e disponibilizados na página da internet da FCT.

A produção científica, tecnológica e cultural dos investigadores (membros integrados) que não fizerem registo do ORCID iD, na plataforma da FCT a designar, não será considerada no estudo bibliométrico.

Como se cria um indentificador ORCID iD?

  1. Registar novo utilizador em http://orcid.org/. Poderá ser-lhe apresentado um determinado número de perfis tendo em conta o seu nome de utilizador.
  2. Ser-lhe-á atribuído um número de identificação ORCID iD. Esse número aparece do lado esquerdo do ecrã, debaixo do seu nome. Consiste em 16 dígitos agrupados de quatro em quatro: http://orcid.org/xxxx-xxxx-xxxx-xxxx.
  3. Para adicionar as suas publicações ao identificador ORCID iD deverá importá-las (clique em “import works”) a partir da base de dados Scopus. De seguida clique em “Authorize”.
  4. Ser-lhe-ão sugeridos um ou vários perfis. Caso não surja qualquer perfil que corresponda ao seu, altere as definições da busca e tente novamente encontrar o perfil correcto. Selecione o(s) seu(s) e prossiga para a selecção do seu nome de perfil.
  5. Reveja as publicações associadas, e escolha as que são de facto da sua autoria. Importe o seu Scopus ID e as suas publicações para sua conta ORCID, autorizando a transferência dessa informação.
  6. Caso, por algum motivo, tenha adicionado publicações de outra forma e tenha publicações duplicadas no perfil ORCID que deseje apagar, tenha a atenção de não eliminar as que foram importadas através do Scopus (cujo URL associado começa por www.scopus).

Consulte as instruções disponíveis em português ou em inglês sobre este procedimento.

NOTA IMPORTANTE 1: A ORCID permite 3 níveis de privacidade – “Public” (pré-definido), “Limited” e “Private” (mais informações sobre a política de privacidade da ORCID em http://orcid.org/privacy-policy#Choices). Para que os dados inseridos sejam visíveis e contabilizados na análise bibliométrica, todos os registos devem ser de acesso público (pré-definido) ou limitado.

NOTA IMPORTANTE 2: Um dos problemas perenes das bases de dados com a produção dos investigadores é a fiabilidade da atribuição de um trabalho a um autor e/ou a uma afiliação. É importante, por isso, que se faça a desambiguação dos dados. Há algoritmos automáticos para fazer este procedimento, mas nenhum garante 100% de fiabilidade. A única forma de garantir a correta atribuição de uma obra a um autor é o próprio autor fazer a desambiguação de dados importados de bases de dados para a plataforma ORCID. Assim, será da responsabilidade de cada investigador a desambiguação do conjunto da sua obra.

O que fazer se já tiver um identificador ORCID iD?

No caso de já ter um identificador ORCID iD, o investigador deverá adicionar as suas publicações ao ORCID iD importando-as da Scopus. Os passos a seguir estão descritos na acima a partir do ponto 3.

Consulte as instruções disponíveis em português ou em inglês sobre este procedimento.

O que fazer depois de criar o identificador ORCID iD?

Após criar o identificador ORCID iD, o autor deverá inserir o respetivo número na plataforma da FCT a disponibilizar a 25 de Novembro de 2013.

Datas importantes

A inscrição do identificador ORCID iD na plataforma da FCT a disponibilizar a 25 de Novembro deverá ser completada até ao encerramento da fase de candidatura da unidade de I&D.

Os coordenadores das unidades de I&D registadas devem indicar o ponto de contacto único da unidade de I&D até 20 de Novembro 2013 para biblioinstituicoes@fct.pt.

A FCT promoveu uma sessão de esclarecimento virtual (via live streaming) no dia 26 de Novembro 2013, das 14h30 às 16h. Para aceder à sessão, clique em http://live.fccn.pt/fct/biblio/.

Contactos

Para esclarecimentos adicionais sobre aspetos técnicos deste processo, os pontos de contacto das unidades de I&D poderão contactar a FCT através do e-mail biblioinstituicoes@fct.pt.

Para mais informações, consulte a secção de perguntas mais frequentes.