Saltar navegação

Notícias

10-10-2016

Sete Cientistas Portugueses distinguidos com Starting Grants do ERC

O Conselho Europeu de Investigação (ERC) anunciou em setembro a atribuição de bolsas Starting Grants. Os resultados revelam o reconhecimento do trabalho de mais sete investigadores portugueses, a quem foram atribuídas estas bolsas europeias de financiamento à investigação de topo. Cinco estão a desenvolver projetos de investigação em Portugal, dois a realizar investigação noutros países da Europa e todos foram bolseiros ou investigadores FCT.

Os portugueses vencedores das Starting Grants foram Ana Patrícia Gonçalves, da Universidade do Minho, Miguel Cardina, do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra, Francisco Freire, do Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA), Pedro Barquinha, do Instituto de Nanoestruturas, Nanomodelação e Nanofabricação (CENIMAT/I3N, FCT NOVA), Joaquim Alves Gaspar, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), Beatriz Viçoso, do Institute of Science and Technology Austria, e Bruno Correia, da École Polytechnique Fédérale de Lausanne (Suíça).

Ana Goncalves

Ana Patrícia Gonçalves desenvolve investigação em ciências matemáticas e o seu projeto tem como título “Hydrodynamic Limits and Equilibrium Fluctuations: universality from stochastic systems”. Pretende analisar e caracterizar a universalidade do comportamento macroscópico de certos sistemas físicos, usando processos estocásticos microscópicos subjacentes, os chamados sistemas de partículas. O objetivo do projeto consiste em obter leis macroscópicas, nomeadamente, equações diferenciais parciais (estocásticas), que governam a evolução espaço-tempo das quantidades termodinâmicas desses sistemas.

Miguel Cardina

Miguel Cardina interessa-se pelo colonialismo, o anticolonialismo e a guerra colonial. O seu estudo "Crossed Memories, Politics of Silence: The Colonial-Liberation Wars in Postcolonial Times" tem como desafio principal a produção de conhecimento inovador sobre as memórias das guerras coloniais e de libertação. Vai procurar aprofundar esta temática, que já abordou anteriormente num estudo realizado apenas em território nacional. Esta bolsa vai viabilizar que o estudo seja estendido a Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. O projeto contribuirá para enfrentar um passado ainda traumático, consequência da pesada herança deixada pelos colonialismos europeus.

Francisco Freire

Francisco Freire, antropólogo com um interesse particular pelo estudo do Islão e da Mauritânia, propõe uma análise das reconfigurações estabelecidas no vocabulário político-social da região do ocidente Saariano - sul de Marrocos, ocidente Saariano e Mauritânia - do "pós-império" até à contemporaneidade. O projeto aprovado pelo ERC tem como título "Critical Approaches to Politics, Social Activism, and Islamic Militancy in the Western Saharan Region (Mauritania, Western Sahara, Southern Morocco)”.

Pedro Barquinha

Pedro Barquinha, formado em Engenharia de Materiais pela FCT NOVA, onde é atualmente Professor Auxiliar do Departamento de Ciência dos Materiais, submeteu ao concurso do ERC o projeto “TREND - Transparent and flexible electronics with embedded energy harvesting based on oxide nanowire devices”. Este projeto pretende criar superfícies flexíveis e transparentes verdadeiramente inteligentes, com capacidade de processamento de informação e autoalimentadas. Na sua construção serão usados nanocircuitos baseados em nanofios de óxidos multicompostos, partindo de materiais sustentáveis e recicláveis, com processamento a baixa temperatura e compatível com produção em larga escala. O seu desenvolvimento potenciará inovadores produtos em áreas como a eletrónica de consumo ou mesmo wearables para aplicações médicas.

Joaquim Gaspar

O projeto de investigação de Joaquim Alves Gaspar, intitulado “The Medieval and Early Modern Nautical Chart: Birth, Evolution and Use”, propõe resolver uma série de questões fundamentais e em aberto na História da Cartografia, recorrendo para o efeito a técnicas inovadoras – análise cartométrica, modelação numérica e análise multiespectral das cartas –, em complemento dos métodos tradicionais de investigação histórica. O investigador espera também realçar o enorme contributo dos portugueses para o conhecimento científico do mundo, na época dos Descobrimentos e expansão marítima.

Beatriz Vicoso

Em Viena, Beatriz Viçoso interessa-se por compreender vários aspetos da biologia dos cromossomos sexuais e os processos evolutivos que moldam as suas características peculiares, tendo a sua investigação como tema “Prevalência e influência de antagonismo sexual na evolução do genoma". O seu projeto será desenvolvido no Instituto de Ciência e Tecnologia da Áustria.

Bruno Correia

Bruno Correia comanda a investigação num laboratório de design de proteínas e imunoengenharia na Suíça. O seu projeto de investigação, intitulado “Computational Design of Novel Functional Proteins for Immunoengineering”, é uma proposta multidisciplinar, onde a computação está interligada com a experimentação (bioquímica, biologia estrutural e imunologia), em que o design computacional é utilizado na busca de novas proteínas funcionais para imunoengenharia. Os resultados deste estudo poderão ter efeitos inovadores ao nível da descoberta de novas terapêuticas: vacinas e na imunoterapia do cancro.

Estas bolsas Starting Grants, dirigidas a investigadores com 2 a 7 anos de experiência pós-Doutoramento, foram atribuídas ao abrigo do pilar «Ciência de Excelência» do Horizonte 2020, o Programa de Investigação e Inovação da União Europeia (EU) da responsabilidade do Comissário Carlos Moedas. Os investigadores portugueses irão receber bolsas individuais entre 1,1 e 1,6 milhões de euros, totalizando quase 10 milhões de euros. Neste concurso foram distinguidos 325 cientistas de topo em toda a Europa, num investimento total de 485 milhões de euros em bolsas de investigação.

Arquivo de notícias ›