Saltar para o conteúdo principal

EMBL – Laboratório Europeu de Biologia Molecular

O Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL) foi fundado em 1974 com base num tratado intergovernamental assinado por dez países europeus: Alemanha, Áustria, Dinamarca, França, Israel, Itália, Países Baixos, Reino Unido, Suécia e Suíça. A criação deste Laboratório surge da ideia de cientistas proeminentes de criar um centro de investigação supranacional semelhante à Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN), para restabelecer o equilíbrio na área da biologia molecular, então fortemente dominada pelos EUA.

O EMBL foi precedido da criação de outras duas instituições: a Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO) e a Conferência Europeia de Biologia Molecular (EMBC). Saiba mais sobre a relação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) com a EMBO e EMBC.

O número de países membros aumentou progressivamente sendo hoje 27: Finlândia (1984), Grécia (1984), Noruega (1985), Espanha (1986), Bélgica (1990), Portugal (1998), Irlanda (2003), Islândia (2005), Croácia (2006), Luxemburgo (2007), República Checa (2014), Malta (2016), Hungria (2017), Eslováquia (2018), Montenegro (2018), Polónia (2019) e Lituânia (2019).

Para além destes países, o EMBL conta com a Austrália como participante com estatuto de país associado e a Estónia e a Letónia como participantes com o estatuto de candidato a país membro.

Portugal aderiu ao EMBL em 1998, tendo vindo ao longo dos tempos a participar e a envolver-se nas atividades no centro das missões do EMBL.

O EMBL é hoje o principal laboratório europeu para a investigação básica em biologia molecular e tem a sua sede e laboratório principal em Heidelberg, na Alemanha. Conta ainda com cinco pólos em Hinxton (o Instituto de Bioinformática, EMBL-EBI), Grenoble, Hamburgo, Roma (Monterotondo) e Barcelona. O EMBL atrai a estes seis locais tanto jovens investigadores como cientistas estabelecidos de todo o mundo.

Com cerca de 1800 pessoas a trabalhar em seis locais em toda a Europa, são produzidas cerca de 700 publicações por ano e organizam-se eventos e conferências na vanguarda da investigação biológica.

Esta infraestrutura, estabelecida para promover a biologia molecular em toda a Europa e criar um centro de excelência para a formação de topo na Europa, prossegue cinco missões:

  1. Fazer investigação fundamental em biologia molecular;
  2. Oferecer serviços vitais aos cientistas, nos países membros e no mundo;
  3. Formar cientistas, estudantes e visitantes a todos os níveis;
  4. Participar ativamente na transferência de tecnologia e nas relações com a indústria;
  5. Coordenar e integrar a investigação europeia em ciências da vida.

Estágios Tecnológicos no EMBL

Em agosto de 2017 a FCT e o Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL) assinaram um protocolo com o objetivo de promover estágios tecnológicos de jovens graduados portugueses, através de bolsas atribuídas pela FCT. O protocolo foi renovado em setembro de 2020.

No âmbito deste protocolo, compete à FCT a implementação do programa de estágios, a seleção dos candidatos e o acompanhamento do trabalho desenvolvido pelos estagiários.

Os estágios, de duração mínima de um ano com possibilidade de renovação por mais um ano, são selecionados por domínios tecnológicos, sendo dada especial atenção ao projeto, ao enquadramento formativo e à futura inserção dos estagiários em empresas portuguesas orientadas à inovação.

Relações industriais

O EMBL emprega alguns dos melhores investigadores europeus, reunindo biólogos, engenheiros, profissionais de tecnologia da informação e inúmeras outras especializações científicas. Além disso, a investigação do EMBL tem muitas aplicações práticas e industriais.

O espírito empresarial do EMBL materializa-se através de programas de transferência de tecnologia e de empresas spin-offs tecnológicas.